Projeto

O EURO-SEXO é um estudo colaborativo internacional sobre a profissão de sexólogo na Europa, já implementado em vários países (Dinamarca, Finlândia, França, Inglaterra, Itália, Noruega, Suécia), cujo protocolo e questionário foram desenvolvidos pelo Professor Alain Giami do Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale (INSERM-France), e com resultados publicados em várias revistas internacionais de renome1-9.

Trata-se de um estudo transversal com aplicação de questionários a todos os profissionais da sexologia em Portugal, com vista a descrever: 1) a sua formação profissional inicial e em sexologia / sexualidade humana, 2) a sua prática profissional e prática em sexologia / sexualidade humana, 3) a sua opinião sobre sexologia / sexualidade humana; 4) dados sociodemográficos.

Objetivo

O objetivo principal é descrever as características dos profissionais inscritos como sexólogos no que diz respeito às suas características sociodemográficas, formação de origem, formação complementar e em sexologia, e as modalidades da sua prática profissional, procurando igualmente descrever as perceções dos utentes das consultas de sexologia, estimar os principais motivos de consulta, os tipos de diagnóstico e de intervenção praticados.

Bibliography
1. Giami A, Chevret-Méasson M, Bonierbale M. Recent evolution to the profession of sexologist in France. First results of a 2009 survey in France. Sexologies. 2009;18: 238-42.
2. Almaas E, Giami A. Sexology as a challenge to the health care system: the Norwegian
version. Sexologies. 2006;15: 35-43.
3. Fugl-Meyer KS, Giami A. Swedish clinical sexologists. Who are they? Who do they treat?
Sexologies. 2006;15: 14-21.
4. Giami A, de Colomby P. La profession de sexologue en Europe : diversité et perspectives
communes. Sexologies. 2006;15: 7-13.
5. Kristensen E, Giami A. Danish sexologists—who are they and what are they doing?
Sexologies. 2006;15: 44-49.
6. Simonelli C, Fabrizi A, Rossi R, Corica F, Giami A. Sexology as a profession in Europe:
results from an Italian survey. Sexologies. 2006;15: 50-57.
7. Wylie KR, De Colomby P, Giami AJ. Sexology as a profession in the United Kingdom. Int J
Clin Pract. 2004;58: 764-8.
8. Giami A, de Colomby P. Sexology as a profession in France. Arch Sex Behav. 2003;32:
371-9.
9. Kontula O, Valkama S. Characteristics of the sexology profession in Finland
in the beginning of 2000s. Sexologies. 2006;15: 22-29.
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License